Captura de Tela 2019-03-25 às 16.43.08

Regras gramaticais do Simple Present (parte 3)

Relembrando o Simple Present

O Simple Present é um dos tempos verbais em inglês, e é equivalente ao presente do indicativo do português. Ele é utilizado para expressar ações que ocorrem no presente, afirmar verdades, expressar sentimentos, opiniões, preferências, etc e por isso é tão importante atentar para algumas regras de conjugação.

Clique aqui e relembre as regras e exemplos de sentenças afirmativas no Simple Present.

Clique aqui e relembre as regras e exemplos de sentenças negativas no Simple Present.

Sentenças interrogativas

Agora que você já aprendeu sobre os verbos auxiliares do e does, vamos ensinar para você como este tempo verbal se comporta em sentenças interrogativas (interrogative form), utilizando estes auxiliares.

– Para os pronomes I, You, We e They, utiliza-se “do”.
– Para os pronomes He, She e It utiliza-se “does”.

Conforme veremos nas frases a seguir, o verbo volta para a forma indicativa (porém, sem o “to”) e a interrogação é expressa pelo posicionamento dos verbos auxiliares no início da frase.

As frases interrogativas no Simple Present possuem a seguinte estrutura: VERBO AUXILIAR (DO ou DOES) + SUJEITO + VERBO PRINCIPAL + COMPLEMENTO
Exemplos:

Do you live in Canada? (Você mora no Canadá?) – verbo to live
Does she teach French at the university? (Ela ensina francês na universidade?) – verbo to teach
Do they prefer Mexican food? (Eles preferem comida mexicana?) – verbo to prefer
Does he watch TV every day? (Ele assiste TV todos os dias?) – verbo to watch
Do you like to go to the farm during the week? (Vocês gostam de ir à fazenda durante a semana?) – verbo to like

Gostou das dicas de gramática do Yázigi Curitiba? Acompanhe nosso blog e conte pra gente o que você quer ver por aqui!

Captura de Tela 2019-03-25 às 16.43.08

Regras gramaticais do Simple Present (parte 2)

Relembrando o Simple Present

O Simple Present é um dos tempos verbais em inglês, e é equivalente ao presente do indicativo do português. Ele é utilizado para expressar ações que ocorrem no presente, afirmar verdades, expressar sentimentos, opiniões, preferências, etc e por isso é tão importante atentar para algumas regras de conjugação.

Clique aqui e relembre as regras e exemplos de sentenças afirmativas no Simple Present.

Sentenças negativas

Agora que você já relembrou as regras de conjugação, vamos ensinar para você como este tempo verbal se comporta em sentenças negativas.

Para construir as frases negativas (negative form), utilizam-se os auxiliares do e does.
– Para os pronomes I, You, We e They, utiliza-se “do”.
– Para os pronomes He, She e It utiliza-se “does”.

Conforme veremos nas frases a seguir, o verbo volta para a forma indicativa (porém, sem o “to”) e a negação é expressa pelas partículas auxiliares acrescidas de “not”.

DO + NOT = DON’T
DOES + NOT = DOESN’T

Exemplo do verbo “to work” em uma oração negativa:
– I don’t work ou I do not work.
– She doesn’t work ou She does not work.

As frases afirmativas no Simple Present possuem a seguinte estrutura: SUJEITO + VERBO AUXILIAR (DO ou DOES) + NOT + VERBO PRINCIPAL + COMPLEMENTO
Exemplos:

I do not live in Canada. (Eu não moro no Canadá). – verbo to live
She does not teach French at the university. (Ela não ensina francês na universidade.) – verbo to teach
They don’t prefer Mexican food. (Eles não preferem comida mexicana.) – verbo to prefer
He doesn’t watch TV every day. (Ele não assiste TV todos os dias.) – verbo to watch
We do not like to go to the farm during the week. (Nós não gostamos de ir à fazenda durante a semana.) – verbo to like

Acompanhe nosso blog, pois nos próximos dias vamos postar as regras do Simple Present para sentenças interrogativas!

Captura de Tela 2019-03-25 às 16.43.08

Regras gramaticais do Simple Present (parte 1)

Sobre o Simple Present

O Simple Present é um dos tempos verbais em inglês, e é equivalente ao presente do indicativo do português. Ele é utilizado para expressar ações que ocorrem no presente, afirmar verdades, expressar sentimentos, opiniões, preferências, etc e por isso é tão importante atentar para algumas regras de conjugação. Estes verbos vêm, frequentemente, acompanhados de advérbios, como:

Now – agora
Always – sempre
Never – nunca
Today – hoje
Every day – todos os dias
Daily – diariamente
Often – frequentemente
Sometimes – às vezes
Generally – geralmente
Usually – usualmente

Algumas regras: Sentenças afirmativas (affirmative)

A conjugação dos verbos varia de acordo com a pessoa verbal, a terminação do verbo e o tipo da frase (afirmativa, negativa ou interrogativa). No caso das sentenças afirmativas, basta utilizar o verbo igual a sua forma no infinitivo. Por exemplo a conjugação do verbo “to run”:

I run – Eu corro
You run – Tu corres/Vocês correm
We run – Nós corremos
They run – Eles correm

Segue alguns exemplos de frases com advérbios, para expressar ações que você realiza com frequência:

I always run – Eu sempre corro
You sometimes run – Tu corres às vezes/Vocês correm às vezes
We usually run – Nós usualmente corremos
They often run – Eles correm com frequência

Para a conjugação das pessoas he, she e it há uma alteração na regra; deve-se adicionar “s” ao final do verbo. Isto ocorre com a maioria dos verbos. Exemplos:

He runs – Ele corre
She runs – Ela corre
It runs – Ele/ela corre

Variações (affirmative)

Ainda na conjugação das pessoas he, she e it, a regra muda para os verbos com as seguintes terminações: “o”, “s”, “ss”, “sh”, “ch” “x” ou “z”. Devemos adicionar a partícula “es” ao final das palavras. Exemplos:

He goes – Ele vai
She does – Ela faz
She watches – Ela assiste

Para os verbos finalizados em “y” precedido de consoante, retira-se o “y” e acrescenta-se “ies” ao final das palavras. Veja os exemplos dos verbos study, cry e try:

He studies – Ele estuda
She tries – Ela tenta
It cries – Ele/ela chora

Quando o verbo termina em “y” precedido de uma vogal, basta adicionar “s” ao final da palavra. Exemplos:

He enjoys – Ele gosta
She stays – Ela fica
It plays – Ele/ela brinca

A construção das frases

As frases afirmativas no Simple Present possuem a seguinte estrutura: SUJEITO + VERBO PRINCIPAL + COMPLEMENTO
Exemplos:

She lives in Brazil. (Ela mora no Brasil)
I teach Spanish at the university. (Eu ensino espanhol na universidade.)
They prefer Japanese food. (Eles preferem comida japonesa.)
He watches TV every day. (Ele assiste TV todos os dias.)

Acompanhe nosso blog, pois nos próximos dias vamos postar mais 2 textos com as regras do Simple Present para sentenças negativas e interrogativas!

428706-PDYSG1-865

Cognatos em inglês

O que são cognatos e falsos cognatos?

As palavras chamadas cognatas são aquelas que possuem grafia parecida em dois idiomas e têm o mesmo significado. Já as palavras chamadas de falsas cognatas são aquelas cuja grafia é semelhante em inglês e português, contudo, têm significados completamente diferentes.

É importante conhecer as palavras que são cognatas, pois elas ajudam na compreensão do idioma. É justamente por isso que é necessário tomar cuidado para não exagerar nos cognatos, inserindo nas frases falsos cognatos que darão significado errado à sentença.

Exemplos de palavras cognatas comuns

Accidental – acidental

Angel – anjo

Area – área

Banana – banana

Comedy – comédia

Creation – criação

Comic – cômico

Competition – competição

Composition – composição

Connect – conectar

Correct – correto

Coffee – café

Chocolate – chocolate

Different – diferente

Dance – dança

Emotion – emoção

Economy – economia

Elephant – elefante

Example – exemplo

Future – futuro

Garage – garagem

Giraffe – girafa

Honest – honesto

Human – humano

Hour – hora

Important – importante

Idea – ideia

Music – música

Material – material

Minute – minuto

Mission – missão

Moment – momento

Musician – músico

Name – nome

Number – número

Normal – normal

Other – outro

Object – objeto

Offensive – ofensivo

Present – presente

Paint – pintar

Pages – páginas

Passport – passaporte

Patient – paciente

Positive – positivo

Potential – potencial

Reaction – reação

Regular – regular

Simple – simples

Television – televisão

Time – tempo

Tomato – tomate

Video – vídeo

Vegetarian – vegetariano

Quer aprender mais?

Participe das atividades extras do Yázigi Curitiba! Confira aqui a programação.

susan-yin-647448-unsplash

Dicas de livros em inglês

Como começar a ler em inglês?

O hábito da leitura é muito importante para se adquirir novos conhecimentos, para se ter acesso à cultura e desenvolver sua criatividade e seu senso crítico. Antes de falarmos sobre o inglês, vale lembrar a importância de se desenvolver o hábito de ler primeiramente em português, incorporando gradativamente a leitura no seu dia a dia. A leitura melhora nossa compreensão e habilidade de interpretação e escrita em nossa língua, o português. Portanto, é interessante tentar aplicar esta mesma consciência para o estudo da língua inglesa, encarando a leitura como uma importante ferramenta para atingir seu objetivo de falar inglês fluentemente. Assim, o primeiro passo é a persistência. Ao abrir um livro você possivelmente poderá se assustar com a quantidade de palavras desconhecidas e achar que jamais conseguirá ler no idioma. A nossa dica é manter a tranquilidade e trabalhar a leitura em etapas. Estabeleça metas de fácil atingimento, como, ler 2 parágrafos por dia. Faça uma primeira leitura, mesmo que não compreenda o que está lendo. Vale também ler em voz alta, procurando conectar a escrita à pronúncia de cada palavra. Em seguida, traduza as palavras que você não conhece com a ajuda de um dicionário, e revise todo o parágrafo, lendo-o novamente. Trabalhar desta forma, com pequenos trechos do livro, fará com que você adquira o hábito da leitura em inglês gradativamente, perdendo o medo dos livros estrangeiros. Além disso, seu cérebro irá se acostumando cada vez mais com o novo idioma, facilitando o processo.

Como escolher um livro?

É importante iniciar com livros curtos e de linguagem simples e clara. Para criar o hábito da leitura em inglês, vale utilizar gibis, histórias em quadrinhos e mesmo revistas de assuntos cotidianos. Estes materiais possuem ilustrações que vão te ajudar a decifrar o significado das palavras. Há livros que vêm acompanhados de CD para que você possa também ouvir o texto, o que irá ajudar a desenvolver a compreensão auditiva junto com a leitura.
Outra dica é selecionar a versão em inglês de livros que você já leu em português; ao saber o contexto do livro, será mais fácil associar os significados. Procure escolher também autores e gêneros que você gosta. Fuja de clássicos da literatura conhecidos por sua complexidade e de leituras técnicas que trazem vocábulos muito avançados e que você não utilizará em seu dia a dia.

Livro ou ebook?

Esta escolha depende do hábito de leitura de cada pessoa. Alguns preferem os livros em formato físico, enquanto outras preferem os formatos digitais (ebooks) ou, ainda, livros em formato “.pdf” no computador ou tablet. A grade vantagem dos ebooks para leituras em inglês é a facilidade para se traduzir as palavras automaticamente, já que os leitores digitais permitem que se faça o download de dicionários em outros idiomas. Assim, você consegue verificar o significado dos vocábulos enquanto lê, sem precisar parar a leitura para recorrer a um dicionário físico.

Dicas de livros

Selecionamos alguns títulos, separados por nível de conhecimento no idioma:

– Nível básico:
Wonder – Extraordinário (Autor R.J. Palacio)
Beastly – A Fera (Autor Alex Flinn)
– Nível intermediário:
Looking for Alaska – Quem é você, Alaska? (Autor John Green)
If I Stay – Se eu Ficar (Autor Gayle Forman)
– Nível avançado:
Life of Pi – A Vida de Pi (Autor Yann Martel)
Into the Wild – Na Natureza Selvagem (Autor John Krakauer)

Venha para o Yázigi Curitiba

A estrutura do Yázigi Curitiba conta com uma biblioteca com diversos títulos em inglês, do básico ao avançado! Clique aqui e navegue pelas imagens da escola!

POST-BLOG

Áreas que exigem inglês fluente

Você sabia que, para trabalhar em algumas áreas específicas, é necessário dominar a língua inglesa? Atualmente, o inglês não é mais um diferencial, mas sim, um requisito básico para muitas vagas, especialmente em setores específicos. Confira a seleção que o Yázigi Curitiba trouxe para você:

 

Tecnologia da Informação

A área de TI vêm crescendo em todo o mundo, despertando cada vez mais o interesse de jovens que estão decidindo sua profissão, bem como de pessoas que buscam mudar de carreira. As ferramentas utilizadas pelos profissionais de TI, como softwares, linguagens de programação e protocolos normalmente estão em inglês, sendo a língua uma forma de padronizar as operações. Além disso, a maioria dos materiais e cursos livres disponíveis na internet estão em inglês. Muitos eventos de tecnologia como congressos, feiras e meet up’s também são realizados em inglês como forma de aproximar e conectar profissionais da área do mundo todo.

Comércio exterior

Esta área caracteriza-se, principalmente por negociações entre empresas, indústrias, comércios e até governos de diferentes países. Os profissionais da área podem atuar de diferentes formas, desde funções mais internas como pesquisa e análise de mercado até funções mais complexas como negociar a compra e venda de produtos, insumos e matérias primas, atuar na parte de consultoria, logística de importações e exportações, dentre outras. Em todos estes cargos, o denominador comum é a língua inglesa, que será vital para a comunicação de profissionais de diferentes nacionalidades. Vale ressaltar, ainda, a importância de ser fluente em mais idiomas além do inglês, já que algumas empresas podem vir a negociar exclusivamente com parceiros comerciais de países não falantes de inglês, por exemplo.

Relações internacionais

Assim como na área de comércio exterior, os profissionais de relações internacionais atuarão em negociações com instituições de outros países, porém, mais focadas em trâmites sociais, resolução de conflitos e negociações diplomáticas. Por este motivo, a fluência no inglês é um requisito básico para se obter oportunidades na área, sendo importante também dominar o espanhol e o francês que, junto com o inglês, constituem as línguas oficiais da diplomacia internacional.

Engenharia

A engenharia é uma área que acaba por conectar profissionais de diferentes países por ser uma área de inovação e tecnologia. Aqui no Brasil, a presença de uma grande número de multinacionais dos diferentes ramos da Engenharia exige profissionais fluentes em inglês e, em alguns casos, em outras línguas também, para que seja possível estabelecer negociações entre empresas parceiras, indústrias terceirizadas, bem como as filiais de outros países.

Comunicação

A comunicação é uma área ampla, que engloba rádio, cinema, tv, internet e outras mídias. A atuação nessas áreas também é bastante diversificada, contando com cargos que vão desde a produção de conteúdo até o jornalismo, seja na televisão, canais de internet ou mídias impressas. É muito comum que os profissionais da área estejam em constante contato com materiais em inglês, como notícias oriundas do âmbito internacional, dos mais variados temas. Além disso, na área do jornalismo, especificamente, é comum a necessidade de profissionais bilíngues para realizar entrevistas e matérias com estrangeiros como: celebridades, governantes, atletas, etc.

 

E você, já trabalha ou quer trabalhar em alguma dessas áreas? Conte pra gente sobre sua experiência ou deixe perguntas sobre o tema aqui nos comentários!

Prancheta 2

A diferença entre: Nobody, Anyone, No one, Anybody

Olá, Cidadãos do Mundo!

Hoje vamos tirar suas dúvidas sobre um assunto de gramática que, normalmente, deixa os estudantes de inglês com a pulga atrás da orelha!

Você sabe qual a diferença entre as expressões Nobody, Anyone, No one e Anybody? Todas essas palavras são muito utilizadas no cotidiano em diálogos, músicas, etc. Os alunos que estão começando seus estudos de inglês provavelmente já se depararam com dúvidas na compreensão e aplicação de tais vocábulos. Esses termos acompanham o substantivo de maneira precisa ou indeterminada e, portanto, são pronomes indefinidos.

Nobody

É a junção de no+body e significa “ninguém”. Deve ser utilizado apenas em sentenças afirmativas para não gerar redundância. Exemplos:

  • Nobody was there. (Ninguém estava lá).
  • Nobody likes to watch scary movies. (Ninguém gosta de assistir filmes assustadores).
  • I saw nobody here yesterday. (Eu não vi ninguém aqui ontem).

No one

Também significa “ninguém” e só deve ser utilizado em sentenças afirmativas. Este termo é mais informal que nobody. Exemplos:

  • No one said anything about the party. (Ninguém disse nada sobre a festa).
  • No one came here last night. (Ninguém veio aqui ontem).
  • I talked to no one when I got there. (Eu não falei com ninguém quando cheguei lá).

Anybody

Significa “ninguém”, “alguém”, “qualquer um” ou “qualquer pessoa”, dependendo do contexto em que é aplicado. Conforme verificamos nos exemplos anteriores, nobody e no one não podem ser aplicados em frases negativas, enquanto anybody pode ser utilizado sem problemas. Nos exemplos abaixo, o termo significa “ninguém”

  • I didn’t see anybody here yesterday. (Eu não vi ninguém aqui ontem).
  • She didn’t talk to anybody at school. (Ela não conversou com ninguém na escola).

Nas sentenças interrogativas, anybody significa “alguém”; nas frases afirmativas, significa “qualquer um” ou “qualquer pessoa”.

  • Can anybody hear me? (Alguém pode me ouvir?)
  • Does anybody have money? (Alguém tem dinheiro?)
  • She just wants to be like anybody else. (Ela só quer ser como qualquer outra pessoa).

Anyone

Tem o mesmo significado de anybody (“ninguém”, “alguém”, “qualquer um” ou “qualquer pessoa”) porém, é utilizado em situações mais informais.

  • I don’t trust anyone here. (Eu não confio em ninguém aqui).
  • I won’t tell your secret to anyone. (Eu não vou contar seu segredo para ninguém).

 

Para fixar melhor esta dica de gramática, indicamos que você sempre repare quando encontrar estas palavras e verifique o contexto da frase em que estão inseridas.

Aproveite também para tirar esta e mais dúvidas com seu professor de inglês e também nas aulas extras de gramática que oferecemos semanalmente!

 

 

 

Prancheta 2

Os idiomas mais difíceis do mundo!

Olá, cidadãos do mundo!

Agora que vocês já sabem que o inglês é a língua mais fácil de aprender, trouxemos para vocês uma outra curiosidade: os idiomas mais difíceis do mundo!

Um dos elementos para definir o nível de dificuldade de aprendizado de um idioma é a média de tempo para se aprender. As línguas consideradas mais fáceis, como espanhol, francês e italiano, demandam uma média de 575 a 600 horas para obtenção de um nível de comunicação. Já as línguas consideradas mais difíceis por sua complexidade e mesmo a ausência em nosso cotidiano como coreano, mandarim e japonês, demandam aproximadamente 2.200 horas de estudo. Línguas como russo, hebraico e grego, demandam , em média, 110 horas.

Nesta seleção consideramos os idiomas mais falados e populares, contudo, há centenas de idiomas considerados super difíceis, como: africâner, galês, gaélico, euksara, esloveno, persa, navajo, etc! A lista é longa e nos mostra quantas línguas e dialetos diferentes existem no mundo! Viva a diversidade cultural!

Vamos à nossa seleção!

1 – Coreano

Falado por 64 milhões de pessoas, apresenta sentenças de estrutura complexa, bem como uma série de regras de sintaxe e conjugação.

2 – Mandarim

Falado por 1,2 bilhões de pessoas, o mandarim é uma língua tonal, ou seja, o significado de uma única palavra varia de acordo com a entonação que é pronunciada. Possui, ainda, milhares de caracteres e um sistema de escrita complexo.

3 – Japonês

Falado por 122 milhões de pessoas, em sua maioria no Japão, o Japonês possui 3 sistemas diferentes de escrita e 2 sistemas silábicos. Assim como o coreano, também exige o estudo de milhares de caracteres.

4 – Árabe

O Árabe tem muito poucas palavras que se assemelham às das línguas europeias. A escrita também usa poucas vogais, o que é uma das grandes dificuldades daqueles que tentam aprender a língua. O país com maior concentração de falantes nativos é o Egito, e o número total no mundo são 221 milhões.

5 – Polonês

Por seu complexo sistema de consoantes – “apenas” 35 – essa língua não possui artigos, existe o gênero neutro e o plural dos substantivos depende de gênero e se é humano ou animal.

6 – Húngaro

Se trata de uma língua aglutinante, isso quer dizer que as palavras são formadas através da união de partículas independentes, não existe preposição ou sufixo. Não apenas, é muito difícil aprender a escrever as palavras, bem como diferenciar as vogais longas das breves.

7 – Finlandês

Assim como o Húngaro, é uma língua aglutinante. Além disso, sua gramática se baseia na variação de cada palavra, a posição em que elas estão dentro da frase também determina a mensagem a ser passada.

8 – Lituano

Com um léxico extremamente arcaico e complexa conjugação de verbos, o Lituano ainda possui letras que são escritas de maneira diferente, dependendo de sua função.

9 – Russo

Por ser um país enorme, os sotaques são os mais diversos, não apenas, o alfabeto é diferente do nosso e a gramática altamente irregular.

10 – Alemão

Por apresentar uma variedade de substantivos e verbos, possui 4 tipos de declinação e gênero neutro.

E você, já ouviu falar de alguma língua bem difícil? Conte pra gente nos comentários!

 

 

yazigi curitiba

Top 4: idiomas mais fáceis de se aprender!

Cidadãos do mundo! Hoje vamos contar um segredo pra vocês! Hoje você descobrirá qual é o idioma mais fácil de se aprender!

É sabido que o aprendizado de uma língua está atrelado a vários fatores: facilidade de aprendizado do aluno, dedicação, foco, treino, dentre outros. Contudo, alguns idiomas são, comprovadamente, mais fáceis de se aprender.

Confira o top 4 e os respectivos motivos:

 

1 – INGLÊS

O Inglês é a língua mais falada do mundo e influencia vários aspectos da nossa vida. Este idioma é requerido no mundo profissional, no empreendedorismo, nas profissões ligadas à tecnologia e inovação e no mundo acadêmico. O Inglês constitui também um passaporte para o conhecimento, já que muitas produções acadêmicas e literárias estão em inglês, bem como vídeos, tutoriais, webinars, etc! O Inglês também figura fortemente em nosso cotidiano por meio de músicas, filmes e cultura pop em geral.

A boa notícia é que o Inglês é a língua mais fácil de ser aprendida! Isso deve-se ao fato de as estruturas gramaticais serem relativamente simples e não existir a variação dos verbos, ou seja, a famosa conjugação, que é complexa para nós até mesmo em Português! A próxima vez que você ouvir uma música em Inglês, repare que algumas estruturas são tão simples que, se compararmos uma mesma frase em Inglês e Português, veremos que a sentença em Inglês é bem mais curta.

 

2 – ESPANHOL

O espanhol é um dos idiomas de grande importância no mundo, falado em vários países da América Latina e também na Europa. O espanhol é uma língua em que as palavras são pronunciadas da mesma forma que são escritas; com relação aos verbos, há pouca variação nas conjugações (em comparação ao português, por exemplo). Outro aspecto relevante é que há uma grande quantidade de vocábulos parecidos nos dois idiomas, de modo que comumente conseguimos compreender ao menos o contexto de um diálogo em espanhol pela proximidade das palavras. Para nós, brasileiros, o fato de sermos vizinhos de falantes de espanhol aproxima um pouco este idioma de nosso cotidiano, facilitando nossa compreensão auditiva. Há uma pequena variação na pronúncia de alguns fonemas dependendo do país (algumas sílabas têm som diferente na Espanha e na Argentina, por exemplo), o que pode atribuir alguma dificuldade na compreensão, ainda mais aliado à velocidade rápida em que este idioma é falado normalmente.

 

3 – ITALIANO

Há aproximadamente 80 milhões de falantes de italiano no mundo, inclusive aqui no Brasil devido à forte imigração italiana no final do século XIX. Este idioma está presente em alguns aspectos do nosso cotidiano, como a famosa culinária italiana. O italiano deriva do latim e, portanto, apresenta vocábulos também facilmente compreendidos em português, como spaghetti e pizza! O italiano está em terceiro lugar desta lista devido à relativa simplicidade na conjugação de verbos, que não têm tanta variação.

 

4 – FRANCÊS

O francês é uma das línguas do mundo das relações internacionais e da diplomacia, sendo falado nos 5 continentes do planeta! Uma super curiosidade da língua francesa é sua semelhança tanto com o inglês quanto com o português. É isso mesmo; há estruturas parecidas com aquelas do inglês e alguns pontos gramaticais (tempos verbais, por exemplo) parecidos com o português. Portanto, se você já tem um nível avançado de inglês, terá mais facilidade para aprender francês!

 

Lembre-se que é possível aprender qualquer idioma com esforço e dedicação! O primeiro (e mais importante) passo desta trajetória é a escolha de uma boa escola de idiomas e é por isso que gostaríamos de convidá-lo para conhecer nossa metodologia, que simplifica e acelera seu aprendizado!

Esperamos você!

Yázigi Curitiba Centro

(41) 3232-2404

 

POST-BLOG2

Hábitos que prejudicam o aprendizado do Inglês

Olá, Cidadãos do Mundo!

Hoje vamos conversar um pouco sobre hábitos de estudo em Inglês, ou melhor, os hábitos que podem estar atrapalhando seu aprendizado do idioma!

  • Estudar apenas na aula de Inglês

Um dos principais equívocos dos estudantes de Inglês é utilizar apenas o horário de aula para ter contato com o idioma. Diferentemente de temas estritamente teóricos, aprender um idioma requer prática constante e o maior tempo possível de contato com a língua. O ideal é que você tente organizar uma rotina de estudos, incluindo mais dias de estudo além das aulas. Você pode, inclusive, aproveitar as atividades extras gratuitas do Yázigi para incrementar sua rotina.

  • Pressa para aprender

Muitas vezes temos o péssimo hábito de querer aprender muitas coisas de uma só vez; com o Inglês, isto pode ser ainda mais prejudicial. O aprendizado de uma língua requer uma adaptação paulatina do cérebro; isso significa que, gradativamente, ele vai “se acostumando” ao idioma. Vale fazer uma analogia aos exercícios físicos de academia: para desenvolver músculos, é necessário treinar com frequência para que, aos poucos, os resultados apareçam. Com o cérebro, a lógica é a mesma: doses homeopáticas de novos conhecimentos vão construindo a fluência em Inglês.

  • Traduções

Cuidado com as traduções exacerbadas! Ao se deparar com um texto em Inglês, resista à tentação de traduzi-lo automaticamente em serviços como o Google Tradutor, por exemplo. Procure pesquisar e traduzir cada vocábulo e verbos individualmente e construir o significado de cada frase. Hábitos como este te ajudarão a pensar cada vez mais no Inglês. Uma boa dica para quem já tem um certo conhecimento do idioma é a utilização de dicionários monolíngue, que apresentam os vocábulos e seus respectivos significados em Inglês, sem a tradução para o Português.

  • Vergonha de praticar

Esta é uma dica que sempre reiteramos entre nossos alunos! Lembre-se de que você é um estudante, portanto, é mais do que natural que você cometa erros e não saiba expressar tudo da forma que desejar tampouco com a pronúncia correta. A sala de aula é o principal ambiente para você praticar, logo, aproveite 100% do tempo com seus professor e colegas e crie o hábito de se soltar mais falando Inglês.

  • Não se divertir aprendendo

Apesar de o aprendizado da Língua Inglesa estar frequentemente articulado à alguma necessidade ou expectativa, permita-se não levar o estudo do idioma tão a sério assim, ok? O que queremos transmitir com esta dica é que, ao encarar seus estudos de Inglês de uma forma mais relaxada e bem-humorada, mais facilmente você fixará os conteúdos e se manterá motivado para estudar!

  • Desistir rapidamente

Não desanime diante das dificuldades! Pode acontecer de você se deparar com um texto complexo em determinado momento ou, ainda, assistir filmes e ouvir diálogos em Inglês que você não conseguirá compreender! Tenha em mente que isto é normal e que cada etapa do aprendizado requer materiais complementares específicos. Muitas músicas em Inglês, por exemplo, são de difícil compreensão, seja pelo sotaque e dicção do cantor, pela presença de muitas gírias e expressões bem como pelo ritmo da canção. O mesmo acontece com materiais escritos, que podem conter uma série de palavras relacionadas a áreas de estudo específicas (Direito, Medicina, etc), o que obviamente causará dificuldades de compreensão até mesmo em falantes de nível avançado. Converse com seu professor e peça que ele indique os melhores recursos extra classe adequados à sua etapa de aprendizado.

  • Não variar os métodos

Apesar da rotina ser essencial para qualquer coisa que queiramos aprender ou colocar em prática, pode acontecer de, após um certo tempo, acabarmos nos desmotivando um pouco. Por isso, sempre reformule seus hábitos de estudo, incluindo atividades mais lúdicas e novidades. Lembre-se de que não precisamos utilizar apenas livros didáticos para aprender línguas; músicas, filmes, livros de literatura, novelas, seriados, quadrinhos dentre outros são ótimas ferramentas para aprender coisas novas.

Aproveite e relembre aqui algumas dicas do Yázigi Curitiba:

Como utilizar a Internet para aprender Inglês

Como melhorar a conversação em Inglês

Atividades extras gratuitas do Yázigi Curitiba para você aprender mais